domingo, 23 de outubro de 2011

A redoma de vidro

Por ser descendente de armênios, sempre fui muito protegida pelos meus pais. Sou de 64,a educação era levada sério e a Mãe era normalmente responsável por ela. Conforme ia crescendo ela separava coisas de menino e coisas de menina, o que podia e o que não podia ser feito,o que não ia nos prejudicar ( a mim e a minha irmã, Wania). Acompanhei o início dos barzinhos de SP pelo relato das minhas amigas, jamais fui a um, porque meu Pai não deixava. Simples assim! E podia fazer o escândalo que fosse que "não" era NÃO. Havia uma redoma de vidro a nosso redor, que não se desfaria só porque a gente não queria ela lá. Ela era real, quase palpável.

Não culpo meus pais por esse tipo de educação, eles fizeram o melhor que podiam, dentro do que conheciam por amor a seus filhos ( aliás esse negócio de culpar os pais por tudo na vida é bem covarde, e a porção de cada um na história? Fica onde?!). Obviamente meu irmão, o Alex foi criado mais livre, ele podia tudo (pelo menos tudo o que a gente não podia!), mas levava cada bronca que dava até medo!!

Apesar das diferenças, crescemos fortes, com muita personalidade, enfrentando as decepções e os medos de frente, fazendo tudo pra ser feliz!

O mundo de hoje oferece muito mais riscos e perigos do que quando eu cresci. Naquela época, a gente sabia que alguém era maconheiro de longe, e era um só, dois no máximo.
Hoje em dia é o contrário, vc sabe quem não fuma, um só, dois com sorte!
As drogas, a violência, o medo, a insegurança de ter um lugar ao Sol cresceu asustadoramente nesses últimos anos.
Li esses dias que o mundo vai ver nascer seu habitante número 7 bilhão! Que em 2050, vamos ser 9 bilhões de habitantes!

Onde cabe tanta gente? Como fica o mercado de trabalho? Como ficam as relações cada vez mais frágeis e fugazes com o avanço da tecnologia e a falta de respeito entre as pessoas? O que vai ser dos nossos netos??

Oooopa! Dá licença, mas não quero saber! Faço a minha parte: reciclo, não poluo o ambiente, respeito o próximo e não faço ao outro o que não quero que façam comigo! Não sou do tipo que vai à Brasília brigar contra a corrupção, mas não sou a favor dela. Tenho meus limites! Criei minhas filhas, meus netos, são problema delas, right??

Mais do que saber e se preocupar em como vai ficar o mundo, acho importante a gente começar a se preocupar em como vai ser nossa cria!
Colocar um filho no mundo é lindo, a gente se sente inteiro, feliz! Mas como fazer dele o melhor ser humano que ele pode ser?? Essa é a questão!

Vale a pena colocá-lo numa redoma de vidro?? Até quando??

Tenho 2 filhas: a Jessica, de 19, e a Stéphanie,de 21.

Nunca fui o tipo de mãe que segura a ponta da mesa pra filha não bater a cabeça. Eu avisava: "Cuidado com a ponta da mesa". Se ela se machucasse, não falava o jargão chato pra caramba: "Eu te disse, eu te disse".
Só mandava tomar mais cuidado da próxima vez e cuidava do machucado.

Conforme elas foram crescendo, fui aos poucos abrindo a guarda e deixando com que elas se virassem: aprender a pegar ônibus, andar pelo bairro sozinhas (uma vez a Stéphie encontrou com os vizinhos do 6o. andar numa rua do bairro, disse que estava indo pra casa, e eles retrucaram: Mas o prédio é pro outro lado!!!), resolver os problemas que lhes cabiam, se colocarem quando achavam que as coisas não estavam certas, procurar emprego,viajar, e sim, elas duas já foram assaltadas. Faz parte de morar numa cidade como SP....enfim: elas tem o direito de Viver!

Como todo jovem elas saem, bebem e se divertem. Não impeço, não acho que daqui do meu sofá consigo julgar se o lugar que elas vão hoje com a idade que tem é bom ou não. Tenho que confiar no que criei e claro, rezar a Deus pra que as guarde, sempre. Se elas não sabem beber e cuidar do copo de bebida, por mais que eu as ame não vou estar lá avisando que o próximo copo vai fazer mal, e que o cara do lado está com um Boa noite Cinderela na mão. Elas tem que ficar ligadas, tem que aprender a se cuidar!
Não me diga que elas são muito novas pra ter todo esse bom senso, sei de crianças que cuidam de seus irmãos menores com 10 anos!

Quebrei a redoma que já não era lá muito forte, por amor! Porque eu entendo que a vida é feita de experiências, que precisamos viver e que não nos são contadas como num conto de fadas dos Irmãos Grimm!
É a partir delas que nos tornamos fortes, flexíveis, abertos,resignados, batalhadores!
É a partir delas que aprendemos a enfrentar a vida como ela é, e não como a gente a idealizou!
Não sou a melhor Mãe do mundo, mas sei que fiz e faço o melhor dentro do que acredito ser o melhor! Não as joguei no mundo sem dó nem piedade,tentei prepará-las pra ele e ainda falo não. Aqui em casa não é NÃO!

Hoje eu voltei pra redoma. Por ser uma paciente oncológica, aprendi que sou especial, no pior sentido da palavra!!Sou delicada como um bebê! Não! Como um velhinho, afinal como disse meu amigo de infância, Silvio : Ëstamos mais perto do fim do que do começo"....querido amigo,obrigada! Nunca mais vou esquecer essa fucking frase!!!

Tenho que tomar alguns cuidados comigo, que antes nem imaginava tomar.
Preciso me poupar desgastes desnecessários, fazer força, levantar peso, me cansar desnecessariamente, comer porcaria,ligar pro médico se tiver qualquer coisinha diferente, e tantas outras coisas que me desanimam só de pensar! Mas sim, hoje preciso de uma redoma ao meu redor pelo meu próprio bem! Não é fácil pra uma pessoa como eu, aprender a se poupar, mas é minha obrigação cuidar de mim também!

Pras minhas filhas dei amor, colo, porrada e bifa na orelha. E enquanto estiver por aqui, elas vão continuar tendo tudo isso,mas também sabem que podem contar comigo, pois a vida que lhes dei é delas. Elas precisam aprender a vivê-la da melhor maneira possível. E isso é de cada um, não é de dentro de uma redoma que elas vão conseguir.

Porque a vida não manda recado, não te poupa, e não espera o momento em que você está mais preparado pra te tirar o chão dos pés. Ela não vai te ajudar a se levantar, isso quem faz é você!

De onde vc está olhando pra ela, de dentro ou de fora da redoma?

4 comentários:

  1. Eu acho que sazonalmente fico dentro e fora numa alternância louca, afinal minha filha tem 9 anos moramos numa cidade de 15 mil habitantes, mas luto para que ela seja um ser humano livre, responsável e muito melhor do que eu.
    Te amo e torço por vc todos os dias, nas minhas orações vc esta sempre incluída seja do lado de dentro ou de fora. bjos boa semana que se iniciará.

    ResponderExcluir
  2. Bella Lella! Vc já me alertou sobre fazer etc... Mas, ainda me recuso, não quero ceder, não por enqto! Ainda estou de fora e olhando o mais longe possível. Ok, ok, admito que pelo menos duas, das quatro, são bipolares, e nesses momentos eu prefiro nem falar, qto menos, pedir rsss. Pinto os rodapés, aperto os parafusos e outros servicinhos básicos de quem aprendeu uma lição diferente: não há tarefas masculinas ou femininas - todos fazem tudo (desde que consigam, claro!). Mesmo porque, qdo mais nada podem, os elefantes tem um jeito bem particular de resolver... Bacione

    ResponderExcluir
  3. Ual...
    Ótimo texto...

    http://thebamorgado.blogspot.com/

    ResponderExcluir